(19) 3805-4141

Dica

A Sauber Beer separou algumas dicas para você

CERVEJA E QUEIJO COMBINAM?

Você deve saber que queijos harmonizam muito bem com vinhos, afinal, essa combinação é um clássico da gastronomia. Mas você já pensou em harmonizar cerveja e queijo?

Ainda que seja novidade para alguns, essa união existe há muito tempo. Ela faz sucesso em países como Grã-Bretanha, Alemanha e Holanda, que sempre produziram queijos de extrema qualidade, mas, por condições adversas de clima e solo, não podem cultivar uvas próprias para a fermentação do vinho. Por outro lado, esses países têm tradição na fabricação de cervejas especiais há séculos. Ligue uma coisa a outra e você tem uma das melhores possibilidades de harmonização que pode encontrar para a cerveja.

Considerada uma bebida versátil, a cerveja é tão interessante quanto o vinho quando o assunto é harmonização com queijo. São inúmeros estilos que combinam muito bem com os diversos tipos de queijos.

A harmonia entre cerveja e queijo é fantástica por várias razões. A carbonatação tem o papel fundamental de limpar as papilas gustativas e de cortar a gordura do queijo. Aqui, a cerveja sai em vantagem em relação ao vinho, que não possui carbonatação. O álcool, a acidez e o amargor equilibram a cremosidade e toques amanteigados do queijo. A cerveja é o verdadeiro pão líquido, o que casa perfeitamente com laticínios.

Nas cervejas encontramos aromas e sabores muito semelhantes aos dos queijos, como os aromas de nozes, castanhas, amêndoas e caramelo, geralmente mais presentes nos queijos mais curados.

Junto com a doçura, o amargor é também responsável pelo equilíbrio da cerveja. Também torna a cerveja refrescante e estimula o apetite. Na combinação com comida, confere certa refrescância e, assim como a carbonatação, corta a gordura que cobre nossas papilas gustativas.

Outro ponto em comum é que os pães, assim como as cervejas, são feitos a partir de cereais, por isso tamanha semelhança de sabores. Assim como os queijos combinam bem com pães, facilmente harmonizam com os sabores de malte, de cevada e de trigo, utilizados nas cervejas.

O ideal é iniciar a degustação com a cerveja, que prepara a boca. Em seguida, vem o queijo e novamente a cerveja para fechar o ciclo, ou abrir um novo.

A água deve estar sempre presente durante a degustação. Ela será muito útil para limpar o paladar e amenizar o álcool.

Cervejas leves combinam com queijos frescos como ricota, feta, mozarela, que são tão leves quanto elas.

As cervejas escuras, do tipo Dunkel, Porter e Stout, são bem harmonizadas com queijos duros como, grana padamo, parmesão e pecorino.

As famosas cervejas de trigos são ideias para harmonizar com queijos como o boursin, ricota, cottage, cream cheese e feta. Também os com casca natural como o chabichou e crotin de chavignol e os semimacios como chevrotin, roblochon e saint-paulin.

Queijos defumados têm sabores complexos e combinam muito bem com cervejas do mesmo tipo, ou seja, produzidas a partir de maltes defumados.

Já os queijos do tipo branco mole como o Brie, Camembert e Sharpham, são queijos que combinam muito bem com geleias e por isso casam perfeitamente com as cevejas dos tipos fruit beer, lambic, weissbier, witbier e saison.

Fonte: Clube do Malte